quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Plantão Caixa Preta

VOLTARÁ A VOAR O PT-ZNF?

Na imagem abaixo, da captura de um dos voos de teste do KC-390 da Embraer sobre a área de ensaios em Gavião Peixoto (SP), congelamos o instante em que a aeronave sofreu um estol e começava a cair. Apesar do Flight Radar 24 não ter a precisão necessária para analisar esse voo, uma fonte muito próxima da Embraer e que não quer se identificar, nos afirmou hoje que o avião militar voava a cerca de 20 mil pés quando sofreu a queda e desceu verticalmente em cerca de um minuto, chegando a pouco mais de 3 mil pés – sobre terreno com aproximadamente dois mil pés de altitude – e os altímetros a bordo travaram no máximo – a fonte afirmou que não é possível avaliar a velocidade máxima atingida pelo avião durante essa queda, que superou quatro G negativos – o suficiente para torcer sua estrutura a ponto de inutilizar o avião para novos voos. A fonte disse ainda que ele soltou pedaços, durante a queda.



O KC-390 PT-ZNF é o primeiro dos três protótipos da campanha de ensaios e participava de testes de formação de gelo no último feriado (12 de outubro). Caso não possa ser recuperado, será uma grande perda para a indústria aeronáutica nacional e para a campanha de ensaios do mesmo.
Até onde soubemos, os três tripulantes estão bem, não teriam se ferido, ou, pelo menos, não gravemente, e arriscamos dizer que conseguiram heroicamente retomar o controle do jato de 51 toneladas, o maior avião já produzido no Brasil e, após anunciarem "Mayday!" pela fonia, pousaram com segurança em GPX. Esperamos que a bela aeronave possa retornar ao voo e que a Embraer seja mais do que bem-sucedida com esse marco de nossa indústria.

Abaixo, o comunicado oficial da Embraer:

"Um protótipo do avião de transporte multimissão KC-390 realizou na manhã de quinta-feira, 12 de outubro, ensaios em voo para situação de estol, que resultam em perda de altitude da aeronave, devido à diminuição da força de sustentação, como parte da campanha de testes para certificação. 

Em razão das manobras efetuadas e seguindo os protocolos estabelecidos, a tripulação solicitou retorno antecipado à base, pousando normalmente no aeródromo da companhia em Gavião Peixoto (SP) onde a campanha de ensaios é realizada.
A entrada em serviço do KC-390 está prevista para acontecer em 2018, conforme o cronograma do programa. Atualmente, dois protótipos do KC-390 somam mais de 1.300 horas de voo."

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

NOTÍCIAS CAIXA PRETA

VEM AÍ A EXPO MARTE!!!



E você vai visitar de graça o evento!!!

A EXPOMARTE é a nova feira aeronáutica de São Paulo, facilmente acessível por carro, metrô e ônibus e que pretende reunir grandes players da área no espaço do Parque de Material Aeronáutico paulistano (PAMA-SP), no Campo de Marte. Além das áreas dedicadas aos expositores para compra e venda de aeronaves, peças, equipamentos e serviços, tanto no pavilhão quanto no pátio, a feira traz uma gama de atividades em auditório e eventos simultâneos, como a Heliexpo Brasil 2017, dedicada às aeronaves de asas rotativas.

Acontecerá também uma inédita venda de livros de aviação com a presença dos principais autores: Solange Galante, Mauro Godoy, Lucita Briza, Ricardo Beccari, Junicley Soares e  também livros de nosso saudoso jornalista e amigo Roberto Pereira de Andrade, o maior especialista, até hoje, da história da indústria aeronáutica brasileira.

Os livros comercializados serão:
'Nas Asas do Líder - Biografia Oficial do Coronel Braga" (Solange Galante)
"A Ás" (Solange Galante) 
"Ada, Mulher, Pioneira, Aviadora" (Lucita Briza)
"Museu Asas de Um Sonho" (Ricardo Beccari e Ramón Barazal)
"Contatos Aviação e Arte" (Mauro José de Godoy)
"Cambalhotas da História" (Junicley Soares)
"Construção no Brasil - 100 anos de história"(Roberto Pereira de Andrade)
"Aircraft Building - Brazilian Heritage" (Roberto Pereira de Andrade)
"Diário de Bordo - Uma visão bem humorada do cotidiano da aviação" (Fernando Crescenti e Renata Cabral)

VOCÊ é convidado dos escritores e ilustradores de aviação. Para adquirir seu convite clique em

https://www.eventbrite.com.br/e/expomarte-feira-internacional-de-aviacao-tickets-35787892550?discount=conv.escritores


Depois, clique em "Ingressos" e selecione 1 ou 2 convites do lado de Convidado - Gratuito. depois, clique em "Continuar". Fácil, não é? Vale para os três dias do evento!!!

*** Obs: Limite de 500 convites até o fim da promoção ***

Nós nos veremos lá! ;)



domingo, 15 de outubro de 2017

SPEECH

MAIS UMA VEZ FOMOS ENGANADOS
(Atualizado em 15 de outubro)


(Por: Solange Galante)


Foto: Reprodução do Youtube


Em março passado, a ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) nos garantiu que a cobrança pelo preço das bagagens "pelo menos" facilitaria a redução no preço das passagens aéreas, como acontece em outros países. Claro que só acreditou nisso quem acredita em coelhinho da Páscoa,aquele que nos traz ovos de chocolate deliciosos. Tanto que o PROCON meteu boca, mas, infelizmente, não adiantou...
Agora, a primeira a se calar foi a ANAC. Engraçado, né?
Por outro lado, lembro muito bem  que pelo menos uma companhia aérea brasileira logo se antecipou e NÃO garantiu esse decréscimo no preço do bilhete. Uma companhia laranja, para ser mais exato. Pelo menos, ela tirou o corpo (e as asas) fora.
O maior problema é o serviço de lixo que nos é ofertado por todas as companhias, sem exceção, comparado com o custo das viagens. A culpa, elas dizem, são dos impostos e Custo Brasil.
Sem dúvida, nosso governo, não é de hoje, prejudica o transporte aéreo, mas jogar o ônus no colo do viajante não deveria ser a (única) estratégia das companhias.
Enquanto isso, uma outra empresa aérea cria uma campanha com musical estilo Broadway e pelo menos uma passageira frequente que conheço e voa na mesma entre São Paulo e Rio de janeiro, por sua vez, afirma com todas as letras que é horrível voar nos aviões da empresa nessa rota: poltrona que não funciona, bancos rasgados, ar condicionado frizer, para citar alguns exemplos do que ela encara quando PAGA para viajar. Tá, o lanche é o melhor que das outras, mas ela raramente come a bordo: preferiria conforto, já que é de maior estatura. Ela já viajou em outras companhias e preferiu, em parte, o conforto das outras. Mas, por conveniência de horário e até promoções, acaba retornando, eventualmente, à companhia "da Broadway".

Veja no link abaixo, a partir de +- 31min30, reportagem e comentários a respeito no Jornal da Cultura de sexta-feira passada e pense a respeito.

https://www.youtube.com/watch?v=KpRxA6kkDvg

---------------

No dia 15 de outubro a Abear - Associação Brasileira das Empresas Aéreas divulgou o posicionamento abaixo a respeito da polêmica divulgada pela imprensa, em relação ao preço das passagens aéreas. Cumprindo nosso papel de jornalismo sério e independente, estamos reproduzindo-as na íntegra abaixo.
Observo em em nenhum momento a Abear opinou sobre a falta de qualidade no serviço das companhias aéreas brasileiras X preço da passagem que, como expus acima por meio de depoimento de uma pessoa que conheço mas prefere não se identificar  e dos comentários no Jornal da Cultura, estão na cara.
Observo ainda que aqui e ali, em em determinadas rotas e companhias, há exceções (excelente serviço). Mas são exceções, enquanto que o preço das passagens não contém exceções.

Com a palavra, o passageiro (se doeu no bolso, o preço estará caro sim).

=====================================
15/10/2017
 
POSICIONAMENTO ABEAR
 
A Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR) reafirma os dados preliminares apresentados em setembro, quando informou tendência de queda entre 7% e 30% nos valores dos bilhetes de suas associadas entre julho e setembro deste ano, em comparação com igual período de 2016. Esse levantamento foi feito a partir de uma média da amostra de tarifas efetivamente comercializadas, de acordo com a rota, os prazos fornecidos por cada empresa aérea e diferentes períodos de antecedência de compra.  Esse cálculo comprova que uma das maiores preocupações das associadas ABEAR é a de sempre oferecer tarifas mais justas para o consumidor, com o objetivo de tornar a aviação comercial brasileira cada vez mais acessível: em agosto de 2017, foram transportados 7,6 milhões de pessoas em voos domésticos, ou 400 mil passageiros a mais na comparação anual.

A ABEAR respeita todas as metodologias de levantamento de preços de passagens aéreas que têm sido divulgadas, mas entende que há diferenças entre os critérios utilizados porque são amostras que coletam dados dos sites das companhias aéreas em diferentes períodos e em alguns trechos. São bilhetes ofertados, não necessariamente vendidos. Já os dados disponibilizados pelas empresas aéreas para a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) seguem os critérios de bilhetes efetivamente comercializados.
ABEAR
A ABEAR foi criada em 2012 pelas cinco principais companhias aéreas brasileiras – AVIANCA, AZUL, GOL, TAM (atual LATAM) e TRIP (que uniu-se à AZUL), com a missão de estimular o hábito de voar no Brasil. Entre suas estratégias de atuação estão planejar, implementar e apoiar ações e programas que promovam o crescimento da aviação civil de forma consistente e sustentável, tanto para o transporte de passageiros como para o de cargas. As empresas fundadoras representam 99% do mercado doméstico, empregam 58 mil pessoas, dispõem de mais de 500 aeronaves e fazem cerca de 2.700 voos diários. A entidade tem ainda mais quatro associadas: BOEING, BOMBARDIER, LATAM CARGO e TAP.

=========================================================================



segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Plantão Caixa Preta

LUFTHANSA LEVA AJUDA HUMANITÁRIA

PARA PORTO RICO

(Texto: assessoria de imprensa Egom; edição final Solange Galante;
 Fotos de responsabilidade da assessoria)


Uma aeronave MD-11F da Lufthansa Cargo matriculada D-ALCK pousou na manhã de primeiro de outubro, domingo, em Aguadilla, com 70 toneladas de água potável e mais de 10 toneladas de alimentos e roupas

Na manhã de 01/10, às 6h44 (hora local) uma aeronave cargueira McDonnell Douglas MD11 da Lufthansa Cargo, proveniente de Frankfurt, e após escala em Atlanta (EUA) pousou em Aguadilla, na Costa Oeste de Porto Rico. Nesta região está uma base técnica da Lufthansa com 400 colaboradores, morando nas comunidades locais em torno e ainda sofrendo com os efeitos devastadores do furacão Maria. O Grupo Lufthansa está determinado a levar suprimentos para esta região para se juntar aos esforços humanitários pela ilha.

A aeronave da Lufthansa Cargo no sábado à noite do Aeroporto de Frankfurt, sob o número de voo LH8830, às 21h, e foi recebida no Aeroporto Internacional Hernández por membros do governo de Porto Rico.

Estavam a bordo da aeronave da Lufthansa Cargo mais de 80 toneladas de água potável, roupas, comida e artigos de higiene, uma combinação de itens emergenciais para a região.

Na Alemanha, os principais participantes da ajuda foram: Hassia, o grupo Metro, assim como a LSG SkyChefs com doações. Kuehne & Nagel, Georgi e orgalog ajudaram com os serviços logísticos. O projeto foi organizado e implantado pela HelpAlliance, a organização de caridade do Grupo Lufthansa.

“Estamos aqui por nossos colegas e pela população americana de Porto Rico durante esses tempo difíceis. É especialmente nos momentos de crise que nós, como empresa, nos juntamos e oferecemos apoio aos colegas e às comunidades em torno da nossa base de Porto Rico afetada por esta tragédia”, disse Johannes Bussmann, presidente do Conselho Administrativo da Lufthansa Technik AG.

A base da Lufthansa Technik em Porto Rico (LTPR) começou a funcionar em 2014 em Aguadilla e é especializada em serviço e manutenção para aeronaves como a família Airbus A320, por exemplo. Os primeiro pedidos de serviço vieram de algumas companhias aéreas americanas e isso resultou em um rápido desenvolvimento da base, se tornando uma das mais importantes prestadoras de serviços de manutenção para os Estados Unidos. Além disso, a LTPR introduziu o primeiro programa de treinamento para o Departamento Americano de Trabalho em serviços, manutenção, reparo e revisão de aeronaves. O programa tem sido realizado em parceria com o Instituto Aeronáutico e Aeroespacial de Porto Rico, uma subsidiária sem fins lucrativos da Universidade de Porto Rico.

Assinado em junho deste ano, o programa de aprendizagem reforça o relacionamento entre o Grupo Lufthansa, a ilha e os Estados Unidos. E serve não apenas para a indústria local de aviação, mas funciona como exemplo para outras áreas do país.

“Como um parceiro próximo de Porto Rico, nós não estamos trazendo apenas suporte para o time da Lufthansa Technik e seus familiares, mas também para as comunidades em torno, que têm trabalhado conosco de perto e com confiança desde o primeiro dia”, disse Bussmann. Desde a passagem do furacão, o local recebeu assistência de clientes da Lufthansa Technik de Porto Rico: Spirit Airlines e jetBlue, cujas aeronaves são atendidas pela base técnica. Um espaço de carga foi imediatamente disponibilizado para uma ajuda mínima. “Nós realmente temos que agradecer aos parceiros e amigos da Spirit e da jetBlue. É reconfortante saber que nós podemos contar com os amigos diante de situações difíceis”, disse Johannes Bussmann.  


sexta-feira, 22 de setembro de 2017

PÉROLAS VOADORAS!

O QUE CONDENAR?
A PRÁTICA DO "CTRL C" / "CTRL V"
OU A FALTA DE REVISORES???

Recebi um newsletter de uma auto-entitulada "entidade de criação, desenvolvimento e promoção de conteúdo especializado e estratégico de qualidade que adiciona valor aos profissionais do setor de aviação civil". 

Especializado. Em aviação civil.

E no mesmo encontrei essa pérola "B746-800". Subentende-se que seja o Boeing 747-8.
A fonte foi outro site, este não especializado em aviação, chamado Portogente. O texto é o mesmo reproduzido pelo Instituto Brasileiro de Aviação. Veja abaixo:




***Moral da história: pode copiar e colar à vontade, mas... deixa um especialista de verdade dar uma lida antes, tá bom?***


quinta-feira, 21 de setembro de 2017

NOTÍCIAS CAIXA PRETA*

*(Obs: A partir de hoje restringiremos o nome "Plantão Caixa Preta" para assuntos urgentes.)

(Foto: Solange Galante)

LUFTHANSA ESTÁ OTIMISTA COM MERCADO
E ANUNCIA NOVIDADES PARA O BRASIL

(Texto: Assessoria Egom e Solange Galante)

O Brasil continua sendo um dos mercados mais importantes para o Lufthansa Group na América Latina. Em sua primeira visita à região após assumir o cargo de Chefe de Vendas das Empresas Aéreas Hub do Lufthansa Group e de Diretora Comercial do hub Frankfurt, Heike Birlenbach anunciou à mídia local o crescimento contínuo das empresas aéreas do grupo que servem o país.
Durante almoço com a imprensa especializada no dia 21 de setembro, em São Paulo, Heike trouxe como principal novidade que a Swiss International Air Lines (Swiss), empresa aérea do Lufthansa Group, aumentará seus serviços na popular rota São Paulo-Zurique no próximo ano, ampliando a capacidade em 55% diários operando o seu avião-conceito Boeing 777-300ER. Atualmente, a Swiss serve o aeroporto de Guarulhos, diariamente, com o Airbus A340-300.
"Oferecendo nosso avião de última geração e serviço premium, mantemos nosso compromisso de ligar o Brasil ao mundo e o mundo ao Brasil," disse Heike aos jornalistas durante o encontro especial com a mídia em homenagem à sua visita a São Paulo.
A partir de 9 de março de 2018, o Boeing 777-300 ER inaugurará uma nova era em voos de e para a Suíça. Além de oferecer 121 assentos adicionais em cada voo, o Boeing 777- 300ER beneficiará seus passageiros com um novo sistema de entretenimento que inclui wi-fi e assentos renovados nas três cabines de serviços, First, Business e Economy – a Swiss ainda não disponibiliza a Premium Economy, como acontece com a Lufthansa.


Heike Birlenbach (segunda, da direita para a esquerda): "As empresas aéreas do Lufthansa Group estão envolvidas numa das maiores aquisições de frota da história da empresa, com mais de 200 novas aeronaves encomendadas entre agora e 2015." (Foto: Solange Galante)

Avaliados em torno de 36 bilhões de euros ao preço de lista, esses aviões incluem o novo Airbus A350, Bombardier C-Series, Airbus A320neos e, em 2025, o novo Boeing 777-9x.
O novo Boeing 777-300ER da Swiss, eficiente no baixo consumo de combustível, oferece redução substancial das emissões de carbono, o que vem de acordo com a decisão do Lufthansa Group de investir em aviões mais novos e mais "verdes".
Ao discorrer sobre as rotas do grupo há muito estabelecidas na economia brasileira, a Diretora de Vendas para o Brasil do Lufthansa Group Annette Taeuber falou dos serviços do grupo oferecidos em todo o país.
"O Lufthansa Group se orgulha dos laços que criou no Brasil. Somos uma empresa multimarcas oferecendo voos diários entre Frankfurt e São Paulo assim como Frankfurt e Rio de Janeiro, com tecnologia de última geração e dedicação ao atendimento, pronta para agradar até mesmo ao mais exigente dos passageiros," disse Annette. Ela observou que, além dois voos diários Lufthansa e Swiss, a empresa aérea suíça Edelweiss, focada em viagens de lazer, tornou-se uma escolha popular entre passageiros locais viajando do Rio de Janeiro para Zurique, servindo a rota com dois voos semanais.
Além dos negócios relacionados aos passageiros, as empresas de prestação de serviços do Lufthansa Group trabalham com toda a indústria da aviação doméstica.
"O primeiro voo comercial para São Paulo ocorreu em 1956. Agora, com bem mais de 50 anos de experiência e histórico mais do que aprovado, nossas unidades de serviço estão na linha de frente na oferta de produtos e serviços a este crescente mercado da aviação," afirmou Tom Maes, Diretor Sênior de Vendas para o Lufthansa Group na América do Sul.
Um exemplo das atividades do grupo no Brasil é a operação que envolve o fornecimento das refeições de bordo. Com mais de 2.000 funcionários no Brasil, a LSG Sky Chefs —número um entre as fornecedoras de refeições de bordo do mundo — opera oito centros de serviços no Brasil para "alimentar" dezenas de milhares de passageiros diariamente. 

Abaixo, mais informações sobre o Lufthansa Group, atualizadas:









E a SWISS vem aí com novo equipamento no Brasil:









quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Plantão Caixa Preta

PROMOTORIA DE JUSTIÇA

DESMENTE O CENIPA


(Solange Galante)


(Foto: Jaka Fotografia)

Em 2 de abril de 2015, um helicóptero Dauphin (EC 155)  que decolou do helicentro Helipark em Carapicuíba (SP), voou por alguns minutos e depois caiu, causando a morte de seus cinco ocupantes, um deles o filho do governador paulista, Geraldo Alckmim, Thomaz. Um ingrediente a mais para gerar grande repercussão. Thomaz era piloto, e levantou-se inclusive a hipótese de que tivesse pilotado indevidamente o helicóptero. O que não foi comprovado.
A conclusão do Cenipa foi, como cita o Ministério Público, que "A causa da queda foi dada como a desconexão de uma alavanca e um cabo da cadeia de comandos do lado direito do helicóptero, que tinha passado por reparos na empresa Helipark". Mas o MP afirma que "o Instituto de Criminalística, em laudo subscrito por uma comissão especialmente formada para o caso e com peritos de diversas especialidades, apontou que as duas condições levadas em consideração pelo Cenipa (o flexível desconectado porém ancorado, de alguma forma, embaixo ou acima da alavanca) era situação muito improvável e instável do ponto de vista físico, sendo praticamente nula a probabilidade de assim se manter depois de 09 partidas ocorridas durante o balanceamento dinâmico do rotor de cauda, circunstância em que a pressão hidráulica seria elevada de zero a 140 bar, por 09 vezes.* O laudo explicou ainda que "o enroscamento acidental destes componentes por baixo é impossível. O laudo ainda afirma que se o flexível estivesse completamente desconectado, a cadeia de comando fica interrompida do lado direito, sendo impossível o voo, já que a aeronave tombaria de lado, ainda no spot."

Esse caso merece que nós acompanhemos! 

(*Sublinhado por nossa conta)