quinta-feira, 16 de maio de 2019

PERFIL

Associação prova que, sim!
Há vida após a Varig!!!


(Por Solange Galante)


Estreando a coluna "Perfil" deste Blog, trago o perfil de uma associação que sobreviveu ao fim da Varig e é um grande orgulho de seus associados! Trata-se da AMVVAR, Associação dos Mecânicos de Voo da Varig. 
Hoje existem no Brasil em atividade apenas nove mecânicos de voo – também chamados Engenheiros de Voo ou F/Es (Flight Engineers) – na Total Linhas Aéreas e dois ou três na Sideral Linhas Aéreas (a empresa é a de mais difícil comunicação, no País), as duas únicas empresas brasileiras que operam ainda o Boeing 727, aeronaves da geração onde os “terceiros homens” eram essenciais para as tripulações técnicas dos voos, como acontecia também com os Boeing 707 e 747-200, ou então o Concorde, o Airbus A300 de primeira geração etc
A saudosa VARIG teve esses tripulantes em diversos modelos de sua frota. Após o leilão da companhia em 2006, suas associações, como a APVAR (dos pilotos) e a ACVAR (dos comissários) tiveram suas atividades reduzidas, embora ainda existam formalmente. Mas aquela que tinha menos sócios, pois havia menos funcionários da categoria “mecânicos de voo”, a AMVVAR, por incrível que pareça, só cresceu na última década, pois se “reinventou”, e hoje é uma associação muito respeitada na aviação brasileira, proporcionando a seus sócios benefícios e atividade social intensa durante todo o ano. Conversei com um de seus ex-mecânicos de voo, Mauricio Morales Ferraresi, vice-presidente da Associação, que já possui respeitáveis 48 anos ininterruptos de atividades .

(Foto: coleção de Maurício Ferraresi)

Caixa Preta: Quando foi fundada a AMVVAR ?
Ferraresi: Ela foi fundada em 21 de junho de 1971, em São Paulo.

Caixa Preta: Onde se situa a sede da AMVVAR ?
Ferraresi: A AMVVAR tem, hoje, a sua sede no Rio de Janeiro, subsede em Porto Alegre e representações em SÃO (São Paulo), CWB  (Curitiba) e FLN (Florianópolis). 

Caixa Preta: A associação recebia verbas da Varig ou quais outras fontes de recursos além dos sócios ?
Ferraresi: Ela não recebia verbas da Varig.  A fonte de rendas, inicialmente, era somente a contribuição mensal de cada associado – somente mecânicos de voo (M/V).

Caixa Preta: A partir de quando a AMVVAR se “reinventou” ?
Ferraresi: A partir da década de 1980, com o avanço tecnológico e a chegada das aeronaves com sistema monitorado por computador, quando surge na Varig o Boeing 767, que já não utilizava o “3º Homem” no cockpit. Começamos, desde então, a nos adaptar para perenizar a associação e não perdermos seu foco inicial, cuja missão é a “excelência no atendimento ao associado, referenciado no querer e na vontade coletiva, preservando a instituição, defendendo o grupo e promovendo bem-estar e integração”.

Caixa Preta: Como ficou a Associação durante o agravamento da crise da Varig ?
Ferraresi: Com a crise da Varig, o grupo que administrava a AMVVAR passou a dedicar mais atenção à essa associação, criando modificações no seu Estatuto, adaptando-o à nova realidade, bem como atualizando o setor de informática da administração, o que gerou maior rapidez às ações empreendedoras, podendo, assim, prestar serviços de administração até para as associações coirmãs APVAR e ACVAR.

Caixa Preta: Como está a situação dessas outras associações de tripulantes da Varig (APVAR e ACVAR) hoje ?
Ferraresi: Encontram-se em situação de ativas, porém, sem atividades associativas.

Caixa Preta: E a AMVVAR, nesse contexto, como está?
Ferraresi: Nesse contexto, a AMVVAR consegue administrativamente ir se renovando, atualizando e adaptando-se às condições do mercado.

Caixa Preta: Como a Associação funciona, atualmente?
Ferraresi: A AMVVAR hoje funciona como uma entidade de utilidade pública e contratante de planos de saúde.

Caixa Preta: Quais as fontes de renda atuais da Associação e quais os benefícios que proporciona a seus associados ?
Ferraresi: As fontes de renda atuais da associação se dão por meio da administração de convênios de planos de saúde para mais de 3.000 participantes, fornecendo subsídios administrativo e financeiro aos Associados Efetivos Natos e viúvas de ex-M/V.

Caixa Preta: Quantos associados a AMVVAR possui hoje ? E quantos associados tinha em seu auge durante a existência da Varig
Ferraresi: Associados Efetivos Natos – 234; viúvas de ex-M/V- 64; Participantes – 2.722. No auge, durante a existência da Varig, eram 540 Associados Efetivos Natos.

Caixa Preta: Algo mais que deseje acrescentar.
Ferraresi: Com a perda dos postos de trabalho na Varig, a AMVVAR fez um trabalho de requalificação profissional para mecânicos de voo, onde formamos 120 pilotos para a Varig.

Mais informações: www.amvvar.org.br

4 comentários:

  1. Parabéns! excelente reportagem! Um grande esforço q une todos os Mecânicos de Voo e q continuam sua luta solitária, depois q a Varig se transformou num sonho.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns a essa associação e a todos os seus filiados.

    ResponderExcluir
  3. Muito bem, Ferraresi, ótima idéia e iniciativa. esperando o próximo PERFIL! F/E José Franzen Vice Diretor AMVVAR-RS

    ResponderExcluir